Quando escrever ‘senão’ OU ‘se não’?

Quando escrever ‘senão’ OU ‘se não’?

Autor: Palestrante e Professor Sérgio Nogueira

Vamos resolver uma dúvida que vira e mexe nos atormenta na hora de escrever. Quando devo escrever SENÃO junto e quando devo escrever SE NÃO separado?

Por exemplo, na frase “Fale alto, SENÃO ninguém vai ouvir”, você escreveria esse SENÃO junto ou separado?

Achou difícil? Então anote a dica. Escreva SENÃO tudo junto quando significar DO CONTRÁRIO.

Assim, na frase “Fale alto, SENÃO ninguém vai ouvir”, devemos escrever esse SENÃO tudo junto, pois tem o sentido de “Fale alto, DO CONTRÁRIO ninguém vai ouvir”.

Devemos escrever SE NÃO separado quando pudermos substituir por CASO NÃO. Veja a frase: “Se não chegar a tempo, perderá o trem”. Esse SE NÃO é separado porque é o mesmo que dizer: “Caso não chegue a tempo, perderá o trem”.

Uma observação importante: no primeiro exemplo, poderíamos escrever SE NÃO (separado) se houvesse um vírgula logo a seguir.

Na frase “Fale alto, SE NÃO, ninguém vai ouvir”, é possível interpretarmos a frase assim: “Fale alto, SE NÃO (falar alto = CASO NÃO fale alto), ninguém vai ouvir.

Ele está entre mim e você OU entre eu e você?

Vamos lembrar o emprego dos pronomes MIM e EU. Vejamos como usar os pronomes depois da preposição ENTRE.

Por exemplo, você diria: “Não há problema algum entre MIM e meus alunos” OU “Não há problema algum entre EU e meus alunos”?

Segundo a norma culta, o correto é “Não há problema algum entre MIM e meus alunos”.

Só devemos usar o pronome EU quando ele for o sujeito da oração. Nesse caso, isso só vai acontecer quando houver um verbo no infinitivo depois do pronome.

Veja o exemplo:
“Não há diferença entre EU LAVAR a louça e você arrumar a casa”.
Mas cuidado! Se não houver verbo depois do pronome, o correto é dizer entre MIM e VOCÊ ou entre MIM e ELE. E não adianta inverter, nada muda. Tanto faz dizer: “Não há problema algum entre MIM e meus alunos” como dizer “Não há problema algum entre meus alunos e MIM”.

Cinquenta OU cincoenta?

Você alguma vez já ficou em dúvida na hora de preencher um cheque, pois não sabia como escrever determinado número por extenso?

Isso é muito frequente, pois como geralmente escrevemos os números com algarismos, é comum aparecer a dúvida na hora de escrever alguns números por extenso.

Várias pessoas escrevem CINCOENTA com as letras C e O, pois acreditam que essa palavra deriva da palavra CINCO. Mas isso não é verdade.

A palavra CINQUENTA deve ser escrita com QU e sem trema, que foi abolido na última reforma ortográfica.

A palavra CINCOENTA com C e O não tem registro em nossos dicionários.

Já o numeral CATORZE aceita duas grafias e duas formas de se pronunciar: pode-se escrever com QU e aí devemos dizer QUATORZE. Ou podemos escrever com C e, nesse caso, a pronúncia é CATORZE. Você escolhe!

Zero grau OU zero graus?

Certamente, ninguém se confunde ao empregar a palavra grau no singular e no plural, não é mesmo? Todos dizem que em Manaus faz 30 GRAUS e que no alto da serra a temperatura pode chegar a um GRAU.

E se o termômetro chegar a zero? Você diria que está fazendo zero grau ou que está fazendo zero graus?

Perceba que a palavra ZERO representa um numeral sem valor absoluto, indica uma quantidade inexistente. Assim, por não haver o sentido de pluralidade de elementos, o número ZERO deve ser considerado singular.

Diga, portanto, que o termômetro marcou ZERO GRAU, que ele chegou à ZERO HORA e que ele gastou ZERO REAL.

E já que estamos falando da palavra ZERO, lembre-se de que você deve escrever ZERO-QUILÔMETRO com hífen e nunca no plural.

Diga que comprou dois carros zero-quilômetro.

Fonte: http://g1.globo.com/educacao/blog/dicas-de-portugues/autor/sergio-nogueira/7.html

PROFESSOR SÉRGIO NOGUEIRA
Professor e Palestrante