Quando aplicar uma dinâmica de grupo? – Como utilizar este recurso de forma positiva

Quando aplicar uma dinâmica de grupo? – Como utilizar este recurso de forma positiva

Autora: Palestrante Bya Rodrigues

Entrevistas, questionários, testes psicológicos, provas situacionais. São várias as ferramentas que identificam de forma ampla um candidato à vaga de emprego. Em muitas delas, há profissionais que conseguem ocultar com êxito suas características negativas diante do recrutador. Na dinâmica de grupo, porém, dificilmente uma pessoa disfarça o seu real perfil. Por isso esse instrumento é tão relevante para os selecionadores. Mas os profissionais de RH alertam: as dinâmicas devem ser aplicadas com um objetivo definido e com uma boa dose de bom senso.

A dinâmica de grupo é um instrumento eficaz para identificar perfis de liderança, capacidades de interação com o outro e potencialidades para a resolução de conflitos. Apesar das utilidades desta ferramenta, entretanto, ela não deve ser usada em qualquer processo seletivo. “Há quem aplique dinâmicas sem objetivos claros, fazendo propostas absurdas aos participantes. É preciso ter respeito pelo candidato. Quando aplicado de maneira indiscriminada, esse recurso denigre a imagem da empresa”, alerta a consultora empresarial Rubyana Rodrigues.

Rodrigues ainda ressalta que o selecionador deve considerar se outros instrumentos não substituem com eficácia uma dinâmica de grupo antes de aplicá-la. “Em cargos de direção, por exemplo, o recrutador pode identificar posturas por meio de provas situacionais. Nesse caso, o profissional de RH simula uma situação com a qual o candidato terá que lidar na rotina de seu novo emprego e pergunta à pessoa que ações ela colocaria em prática diante do contexto criado”, sugere a consultora – que também atua no desenvolvimento de talentos.

Quando em uma entrevista ou prova específica não se consegue obter todas as informações necessárias dos candidatos avaliados, principalmente no que diz respeito ao comportamento em grupo, aí entra o papel das dinâmicas. “Nesses casos, para cada vaga deve ser aplicada uma proposta. Se a vaga é na área comercial, por exemplo, você vai simular situações que identifiquem a capacidade de expressão e os argumentos usados pela pessoa”, explica Rubyana.

Para saber mais sobre o assunto

Evento
Você sabia que o Brasil possui um dos maiores centros de referência em dinâmicas de grupo da América Latina? É a Sociedade Brasileira de Dinâmicas de Grupo – a SBDG. Em 2013, essa entidade vai realizar o VIII Congresso Brasileiro de Dinâmicas de Grupos. O evento acontece entre os dias 23 a 25 de setembro, no Centro de Eventos da PUC/RS. O tema da edição deste ano será “Equipes dão certo: a arte de liderar o coletivo”. Mais informações podem ser obtidas no site da SBDG

Bibliografia
A psicóloga organizacional Izabel Failde reuniu sua vasta experiência em recrutamento e seleção para elaborar o “Manual do Facilitador para Dinâmicas de Grupo”. A obra foi publicada pela editora Papirus. No início do livro, a autora traça um panorama teórico, com explicações sobre a origem da expressão e o que é aprendizagem vivencial. Da metade do Manuel em diante, Failde trata de questões práticas. Ela explica como elaborar ou adaptar técnicas e traz 20 atividades aplicáveis aos mais diferentes objetivos. Mais dados no site da Papirus.

BYA RODRIGUES
Psicóloga e Palestrante