Inovação, Mudança e Pessoas

Inovação, Mudança e Pessoas

Autor: Palestrante Fábio Di Giacomo

Mudança, seja para empresas ou para profissionais, é algo cada dia mais necessário e fundamental para nos manter atualizados e competitivos no mercado. Porém, sabemos que na prática, não é algo tão fácil assim de se fazer. Muitas vezes subestimada, é vista como um evento, como algo simples e racional, tipo: já sabemos que é isso, vai lá e faz, muda…Ela é um processo, e como todo processo tem uma série de variáveis, é uma delas são as pessoas. Quem comanda o processo de mudança em cada um é o nosso cérebro, que está dividido em dois lados que funcionam paralelamente: racional e emocional, sendo o lado emocional o verdadeiro responsável por virar a chave interna. Muitas mudanças fracassam porque ficam só no lado racional (razão) importante para dar direcionamento e clareza para onde ir. Já o lado emocional tão importante quanto, é quem nos coloca em movimento (ação), nos afastando de algo que nos incomoda e traga alguma dor ou nos aproxima em busca de algo que é bom e que nos dá prazer.

Não existe inovação sem mudança, não existe mudança sem pessoas e pessoas são diferentes.

O ser humano vive em um grande paradoxo entre certeza e variedade, zona de conforto e desafio. E emoções estão por traz desse paradoxo como: segurança, confiança, tédio, frustração, medo, ansiedade…

Uma grande armadilha no processo de mudança, que traz desgaste, frustrações e podem levar ao fracasso, é acreditar na mudança puramente racional, tipo: comunica o que precisa mudar na expectativa que todos mudarão facilmente ignorando o lado emocional dos envolvidos. Com as emoções desalinhadas do racional, o processo de mudança interna é sabotado de forma inconsciente.

No mundo VUCA onde o ambiente externo varia a cada dia, nos trazendo incerteza e instabilidade, nos faz buscar por certeza ou segurança em outro lugar, no interno, o que leva a gente se apegar ainda mais aos nossos padrões (MIDSET), repetindo-os com mais frequência e intensidade, indo no sentido contrário à mudança.

Vale perceber que mudanças internas e externas as pessoas são interdependentes, cada uma depende, influencia e impacta na outra. Na prática, temos uma tendência a perceber e focar mais no visível (externo) do que no invisível (interno), e essa cegueira fica mais forte de acordo com a velocidade da mudança externa.

Líderes são os principais agentes de Mudança, investir na Evolução para uma disrupção de MINDSETs antigos é fundamental para qualquer processo de inovação

Fato é que toda e qualquer mudança só tem sucesso quando ela vem de dentro, quando a pessoa vira a chave emocional interna, quando ela percebe mais ganho do que perda. O que tenho visto é que a taxa de sucesso nessa transformação digital tem sido bem maior para Líderes que entendem que as pessoas são uma VARIÁVEL CRÍTICA e investem na sua EVOLUÇÃO para que elas possam lidar melhor com as suas emoções do início ao fim do processo de mudança, afinal racional e emocional devem estar alinhados, e cada pessoa tem os seus motivos para isso.

Não existe inovação sem mudança e as pessoas são o ponto G desse processo.

FÁBIO DI GIACOMO
Especialista em Estratégias Mentais e Inteligência Emocional e Palestrante